Óleo de Coco

10 MOTIVOS PARA CONSUMIR ÓLEO DE COCO EXTRA VIRGEM. Por Dr. Sérgio Puppin

Cardiologista e Nutrólogo.

(12/11/2007)

1 – Ação ANTIOXIDANTE – Colabora na diminuição da produção de “Radicais Livres”! Isto se deve principalmente a ação direta da vitamina-E presente na “Gordura de Coco Extra Virgem” composta por 8 frações desta vitamina; 4 tocotrienóis (alfa, gama, delta e teta) e 4 tocoferóis (alfa, gama, delta e teta).

Contrário a outras gorduras, principalmente em relação aos óleos poliinsaturado, a gordura de coco diminuiu as necessidades de vitamina E do organismo. 

 2 – COLESTEROL –  Ajuda na redução do mau COLETEROL – LDL e evita que o mesmo se oxide. Por outro lado, promove a elevação do bom COLESTEROL – HDL contribuindo assim na prevenção e tratamento das doenças cerebrais e cardiovasculares.

 3 – Colabora no processo do EMAGRECIMENTO – De fácil absorção, a gordura de coco é a melhor fonte de TRIGLICERIDEOS DE CADEIA MÉDIA, não necessita de enzimas para sua digestão e metabolismo. No fígado, este tri glicerídeos rapidamente se transforma em energia, desta maneira não se depositam no organismo. Por isso ela é considerada “termo gênico”, ou seja, capaz de gerar calor e queimar calorias. Esta propriedade, aliada a capacidade que a gordura de coco tem de estimular a glândula tireóide, aumenta o metabolismo basal e, conseqüentemente: EMAGRECE!

4 – Melhora o sistema IMUNOLÓGICO – agindo na prevenção e no combate aos VERMES – BACTÉRIAS e FUNGOS, restabelece a energia “roubada” por estes agentes. Conseqüentemente melhora a absorção dos nutrientes aumentando todas as defesas do organismo.  A gordura de coco apresenta a maior concentração de Ácido Láurico, dentre todas as gorduras vegetais. Em outras palavras, é o mesmo ácido graxo presente no leite materno!

No organismo o Ácido Láurico é convertido em monolaurin que tem ações para combater inúmeras infecções. Mais recentemente em 1992, Isaacs e colaboradores confirmaram todos estes estudos.

Ainda em relação ao ácido láurico, veja a declaração da Dra. Mary Enig, uma das maiores autoridades mundiais em relação a estudos sobre gorduras, principalmente no que se refere à GORDURA DE COCO EXTRA VIRGEM, leia-se ÀCIDO LAURICO. Este artigo foi por ela publicado em setembro de 1995 no “Indian Coconut Journal”:

 “O MONOLAURIN, cujo precursor é o acido LÁURICO (C-12), destrói a membrana lipídica que envolve os vírus e, também ele inativa bactérias, levedura e fungos.” E acrescentou: “Dentre os ácidos graxos saturados, o ácido láurico tem mais atividade antiviral do que os ácidos caprílico (C-10) e mirístico (C-14). A ação atribuída ao MONOLAURIN é que ele solubilizar (dissolve) as gorduras… do envolve que envolve os vírus, destruindo assim sua capa protetora”. (Estes números e o C – significam a quantidade de átomos de carbono dos ácidos graxos).

Dentre centenas de outros trabalhos científicos, hoje a GORDURA DE COCO EXTRA VIRGEM é capaz de ajudar a combater uma infinidade de bactérias, leveduras, fungos e vírus, tais como: sarampo, herpes, estomatite vesicular e Cytomegalovirus (CMV), Epistein Bar vírus, vírus da hepatite C (HCV), AIDES (HIV), H. pylori, giárdia, cândida, cryptosporidium e outros parasitas intestinais.

5 – Regula a FUNÇÃO INTESTINAL – Tanto nos casos de prisão de ventre ou mesmo nas diarréias, os componentes da gordura de coco agem normalizando as funções intestinais. Ao mesmo tempo o ácido láurico, através do monolaurin, ajuda a eliminar as bactérias patogênicas (inimigas), protegendo e favorecendo o crescimento da “flora amiga”.

6 – Tireóide – Melhora o funcionamento da TIREÓIDE, tendo ainda ação “Anti-Envelhecimento” – Estudos realizados há mais de 30 anos comprovaram que a gordura de coco estimula a função da glândula TIREÓIDE. O bom funcionamento da TIREÓIDE faz com que especificamente o mal COLESEROL – LDL, através de processo enzimático, produza os hormônios Anti-Envelhecimento: PREGNENOLONA, PROGESTERONA e DHEA (dehidroepiandrosterona). Todas estas substâncias são necessárias na prevenção de Doenças Cardiovasculares, Senilidade, Obesidade, Câncer dentre outras doenças crônicas relacionadas à idade.

7 – Ação COSMÉTICA – A maioria das loções e cremes comerciais é constituída predominantemente de água. Estas preparações úmidas são rapidamente absorvidas pela pele seca e enrugadas. Assim que a água entra na pele, o tecido é expandido como um balão com água, então as rugas desaparecem e a pele se torna mais macia. Porém, tudo isto é temporário. Em poucas horas a água é absorvida e levada para a corrente sangüínea e, tanto a secura como as rugas reaparecem. Além de não resolver o problema de hidratação e das rugas, estes cremes ou óleos refinados estão quase sempre oxidados, trazendo consigo uma montanha de radicais livres, que agravam cada vez mais o tecido elástico da pele tornando-a mais envelhecida.

A gordura de coco pode ser aplicada diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos, funcionando com um “condicionador” natural, para isso é só massagear os cabelos com 1 colher das de sobremesa antes do banho. Além de hidratar a pele e não conter radicais livres previne rugas numa verdadeira ação antienvelhecimento. Isto se deve a “lubrificação” da pele, permitindo que os nutrientes do sangue cheguem até ela.

8 – Ação dermatológica – Além do poder bactericida na pele, pode ser utilizada como cicatrizante de feridas, picadas de insetos, alívio em queimaduras e, sobretudo nos eczemas e dermatites de contato, bem como no tratamento do herpes e candidíase.

9 – Diabéticos – Controla a compulsão por CARBOIDRATOS – Assim como os alimentos ricos em fibras ajudam a manter níveis estáveis de insulina no sangue, conseqüentemente facilitando a vida dos DIABÉTICOS, a gordura de coco proporciona uma sensação de saciedade ainda maior e, acima de tudo não estimula a liberação de insulina, contribuindo desta forma para diminuir o “craving” compulsão por carboidratos, principalmente a doces. Contrário aos demais óleos poliinsaturado que dificultam a entrada da insulina e nutrientes para dentro das células, deixando-as literalmente “famintas”, a gordura de coco “abre as suas membranas”, não somente permitindo que os níveis de glicose e insulina se normalizem, como também melhorando sua nutrição, restabelecendo os níveis normais de energia.

10 –– Fadigas crônicas e Fibromialgia – Até recentemente estas duas entidades não eram reconhecidas pela medicina tradicional. Somente agora após uma grande divulgação na mídia da melhora clínica de milhares de pacientes, é que o tradicional “stablischment”, deu mão a palmatória, chegando mesmo a ser reconhecida pelo FDA, quando liberou um medicamento para combater este mal.

Estas duas entidades muitas vezes se confundem e, há autores que afirmam que ambas têm a mesma etiologia. Porém a esmagadora maioria da classe médica ainda insiste em afirmar que estas duas afecções são na realidade uns quadros depressivo mascarado, devendo por isso mesmo ser tratada com antidepressivos.

Enquanto na Fibromialgia predomina o sintoma DOR, na Síndrome da Fadiga Crônica, o CANSAÇO é a tônica. Em outras palavras:

FADIGA CRÔNICA     =      (Sinônimo de) CANSAÇO

FIBROMIALGIA         =       (Sinônimo de) DOR

 

A Fibromialgia pode ser considerada um processo reumático, que freqüentemente acomete o pescoço, região lombar, ombros, nuca, parte superior das coxas, joelhos, nádegas, cotovelos e parte superior do tórax. É importante lembrar que os fenômenos dolorosos podem acometer qualquer parte do corpo.

Tanto a dor quanto o enrijecimento matinal é mais acentuado pela manhã, que muitas vezes é acompanhado de: insônia, dor de cabeça, depressão, mente embotada, desorientação, alterações digestivas, tonteiras, ataque de pânico e vermelhidão facial.

O sistema imunológico de uma pessoa afetada, freqüentemente é hipersensível a muitos fatores, tornando o indivíduo hiperalérgico a muitos alimentos. Estes sintomas podem ser agravados por outras alergias, falta de sono, estresse e infecções agudas.

Dentre as causas associadas a estas duas patologias destacamos: Herpes Zoster, Epstein – Barr Virus (o vírus do beijo), Mononucleose infecciosa, Resfriados e Estados Gripais, Deficiência nutricional, Intoxicações por metais pesados (mercúrio, chumbo, arsênico, cádmio, flúor, cloro, dentre outros), finalmente a deficiência de sais minerais e, o eterno desafio do homem, o estresse!

Hoje, a gordura de coco EXTRA – VIRGEM, talvez seja uma das melhores soluções para combater a Síndrome da Fadiga Crônica e Fibromialgia.

Os ácidos gordurosos de cadeia média, sobretudo o Láurico, podem eliminar vírus como os do Herpes e Epstein-Barr, que se acredita sejam os grandes responsáveis por estas entidades. Combate e ajuda eliminar cândida, giárdia e ameba. Ainda eliminam uma grande quantidade de vírus, bactérias e até mesmo certos vermes que podem estar relacionados a estas duas patologias.

A grande maioria dos médicos acredita que não é um único tipo de vírus ou bactéria os responsáveis pela Síndrome da Fadiga Crônica e, mesmo da Fibromialgia, mas sim, a combinação de vários agentes e fatores. Nestas condições a gordura de coco age neutralizando uma gama enorme destes agentes infecciosos. Melhora o sistema imunológico, elimina o estado de ESTRESSE sofrido por ele. Em fim, por aumentar nosso metabolismo e por recuperamos nossa energia plena, nos sentimos “mais jovens”, com capacidade para realizar nossos sonhos!

Lembre-se que não há contra-indicações para seu uso, na dúvida, consulte seu médico.

 
 
 
ÓLEO DE COCO EXTRA VIRGEM – COPRA    copra_38_img_chamada
NA COZINHA NÃO EXISTE NADA IGUAL!Sensíveis ao aquecimento, a maioria dos óleos vegetais têm suas moléculas alteradas pelo calor, e se tornam nocivos à saúde.          O calor é um dos maiores inimigos dos óleos vegetais. Os chamados óleos poliinsaturados – como os de girassol, soja e milho – sofrem alterações e apresentam altos níveis de gordura trans ao final do cozimento, assim como também o de canola.

         Tido como o mais saudável por ser do tipo monoinsaturado, o óleo de oliva também sofre alterações com o aquecimento.

Dentre todos os tipos de gordura, as saturadas são as mais resistentes e estáveis.

         Por isso, para cozinhar a melhor escolha é o ÓLEO DE COCO COPRA considerado EXTRA VIRGEM por apresentar um teor de acidez abaixo de 0,3%.   (Marcelo Alves CRN 5711)

 O QUE É O ÓLEO DE COCO EXTRA VIRGEM?  oleo-de-coco-google 
 
O óleo de coco extra virgem é um produto 100% natural de origem vegetal da espécie Cocos nucifera L.. É prensado a frio, não é submetido ao processo de refinamento e desodorização, sendo extraído a partir da polpa do coco fresco por processos físicos, passando pelas etapas de trituração, prensagem e tripla filtração. Seu índice de acidez é no máximo até 0,5%, o que o caracteriza como um óleo extra virgem.

 

Quando submetido a altas temperaturas, o óleo de coco extra virgem não perde suas características nutricionais, sendo considerado um óleo estável. É também considerado o mais saudável para cozinhar, não apresentando gordura trans gerada pelo processo de hidrogenação, que está presente em todos os óleos de origem vegetal, como os de soja, canola, milho e até o de oliva, que é considerado o óleo mais saudável”.

 São encontradas diversas substâncias no óleo de coco, entre elas os ácidos graxos essenciais e o glicerol, que é importante para o organismo – com ele o corpo produz ácidos graxos saturados e insaturados de acordo com suas necessidades. O óleo de coco extravirgem apresenta um alto índice de ácido láurico, mirístico e caprílico, entre outros.

Informação Nutricional

Porção de 13ml (Uma colher de sopa)

Quantidade por porção

%VD (*)

Valor energético

110 kcal = 462 kj

6%

Carboidratos

0 g

0%

Proteínas

0 g

0%

Gorduras Totais

12 g

22%

Gorduras Saturadas

11,2 g

51%

Gorduras Trans

0 g

0%

Gorduras Monoinsaturadas

0,7g

**

Gorduras Poliinsaturadas

0,2 mg

**

Fibra Alimentar

0 mg

0%

Colesterol

0 mg

0%

Sódio

0 mg

0%

*Valores Diários de Referência com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades. ** Valores diários de referência não estabelecidos.

 

Característica: Solidifica abaixo de 25°C. Este produto não é medicamento e nem deve ser usado como tal.
Ingrediente: Óleo de coco. Não contém glúten

 

Características Gerais Côco coqueiro
 
*Nome científico: Cocos nucifera L.
 Família: Palmae
 Origem: Índia/Ásia
 Características da planta: palmeira inerme, solitária, de estipe cilindra, lisa, podendo chegar até a 20 m de altura. Folhas de até 3 m de comprimento, com bainha de fibra grosseira e cor castanha, pecíolo longo e cerca de 100 pinas (folíolos) distribuídas em intervalos regulares.                                                                                                                       Fruto de forma ovóide, com cerca de 15 cm de diâmetro que, quando maduro, apresenta coloração castanha; possui polpa abundante de até 2 cm de espessura e a cavidade central contém um líquido aquoso ou leitoso, conhecido como agua-de-côco.
Características da flor: flores unissexuais, reunidas em inflorescência ramificada (espádice) que se forma na axila de cada folha. A espádice encerra-se em uma larga espata lenhosa, que é composta por uma raque em que, em seus dois terços superiores, situa-se um aglomerado de flores masculinas pequenas, medindo apenas alguns milímetros, de coloração brancacenta ou amarelo-claras e situam-se na parte basal da raque.
 *fonte: Flores do Alimento – Silvestre Silva – Empresa das Artes – 1997
 Melhores variedades: anão – verde e pernambuco.
 Época de plantio: início das chuvas.
 Espaçamento: 8 x 8m.
 Mudas necessárias: 156/hectare.
 Covas: 80 x 80 x 80cm.
 Combate à erosão: plantio em curvas de nível.
 Culturas intercalares: arroz, feijão, milho, soja, durante a formação.
 Adubação:
 Na cova: colocar no fundo, até 1/3 da profundidade, uma camada de cascas e fibras de, coco, lixo, folhas etc ., misturadas com terra da superfície; o restante da cova ser preenchido com 30 litros de esterco de curral, 1.000g de calcário dolomítico, 500g de fosfato natural e 300g de cloreto de potássio, misturados com terra da superfície; na frutificação, em março e novembro, em cobertura , ao redor das plantas, em um raio de 1,5-2m: 400g de sulfato de amônio; 300g de superfosfato simples; 200g de cloreto de potássio; 20 litros de esterco de curral.
Tratos culturais: roçadas e coroamento.
 Combate à moléstias e pragas:
ceratostomela (fungo que causa a queda das flores e podridão do pedúnculo dos frutos ) : pulverizar os cachos com Dithane M-45 a 2% a cada 20 dias.
 Época de colheita: o ano todo.
 Produção normal: 50 – 60 frutos/planta/ano.
 Observações: cultura permanente. Preferir terras férteis, com altitude inferior a 500 metros.
  Uso Nutricional
 O coco é uma árvore da qual tudo se aproveita. No Brasil, o coco é usado verde para beber a água, que é a mais pura, nutritiva e completa bebida que a natureza produz nos trópicos. O ponto ideal para se beber a água coco do verde, é em torno de 6-7 meses depois que os frutos começarem a aparecer. Nessa fase se encontra a maior concentração de sacarose, depois esta tende a diminuir, na medida em que o coco amadurece. O principal constituinte da água, é o potássio, que varia de acordo com a quantidade encontrada nos solos.
 A carne do coco maduro é um alimento importante na culinária dos países tropicais. O leite ou creme obtido do coco fresco ralado, serve como base no preparo de diversos pratos, tanto na culinária doméstica, quanto na comercial. A Bahia é o estado brasileiro onde o coco encontra sua maior expressão.
 No processo de extração do óleo de coco, a torta resultante é rica em proteína de 18 a 25% e em fibras. Porém, pelo processo de industrialização, que utiliza altas temperaturas, se produz a desnaturação da proteína, que não fica adequada para o uso humano, sendo usado para a alimentação de ruminantes. O bagaço resultante da extração caseira do leite ou óleo de coco, por não utilizar o processo industrial, pode e deve ser usado na confecção de bolos, pães, etc., pois ela é rica em proteínas e fibras. De fato, em vários Centros de Pesquisa da Índia, Inglaterra, Filipinas e EUA, esforços estão sendo feitos para produzir, para consumo humano, proteína, óleo e outros produtos a partir do coco maduro fresco.
A farinha de coco na Índia e nas Filipinas, é preparada a partir da extração do óleo para ser usada na alimentação, especialmente em padarias e merenda escolar, podendo substituir a farinha de trigo e leite, sem gordura em até 5%, sem afetar o valor e a qualidade do produto.
 Coco seco é outro produto muito usado na indústria de alimentação. O coco seco, bem processado deve ser crocante, branco, com um sabor agradável e doce do coco. O valor nutritivo é aproximadamente o seguinte: gordura 67,50%, carbohidratos 5,9%, proteínas 9,3%, sais minerais 2,4% e fibras 3,9%.
 Óleo de coco: para uso doméstico, é preparado a partir do leite de coco fresco esquentado; com o calor, o óleo se separa, então é retirado e coado.
 Em nível industrial, é utilizado o processo hidráulico junto com solventes químicos.
 Óleos ricos em ácido láurico, como o de coco, têm boa demanda na indústria de alimentos e na química, devido a sua “baixa rancidade”, sua facilidade de derreter e sua habilidade de formar emulsões estáveis e espuma. Esses fatores têm levado o óleo de coco a ser usado como óleo de cozinha, gordura vegetal, substituto de gordura do leite em margarinas, biscoitos, bolos, sorvetes e cremes para bolos, também substituto da manteiga de cacau.
Aliado a isso, o óleo de coco tem um maior “grau de digestibilidade”, que qualquer gordura, incluindo a manteiga e isso é devido a seu alto percentual de glicerídios assimiláveis (91%). Por isso foi usado como substituto da manteiga, especialmente na confecção de margarina, porém com a introdução de óleos hidrogenados na confecção de margarina e gorduras vegetais, o óleo de coco perdeu seu lugar privilegiado na indústria alimentícia, especialmente a partir da preocupação de usar óleos poli-insaturados para evitar as doenças coronárias, por aumento do colesterol. No entanto, estudos feitos com grupos na Polinésia, que utilizam grande quantidade de óleo de coco na sua comida, encontraram uma menor taxa de gordura no sangue que o grupo que consumia uma dieta no estilo europeu. Por isso o consumo de gorduras saturadas ou insaturadas na influência do nível de colesterol no sangue, ou de doenças coro-nárias, deve ser analisada no contexto geral da dieta e do estilo de vida das pessoas.
 Uso Medicinal
 A água de coco é usada como diurético. Por seu alto conteúdo em sais minerais, é usada nos casos de diarréia e cólera. Por ser estéril, pode ser usada em caso de emergência para hidratação parenteral (na veia). Experiência nesses sentido foi feita em Bangok, Tailândia.
 A água de coco com farinha de arroz, feito cataplasma, é usada na China, em feridas gangrenosas e cabeça de prego (furúnculo).
Em Curaçao, o leite de coco feito na hora e a carne do coco maduro, são usados para matar vermes. O leite de coco é usado, também externamente, para tratar mastites (inflamação das mamas) e erisipelas (vermelhão).
 O óleo de coco é usado, com sal, para gripes e garganta inflamada, é também um bom meio para fazer massagem.
 A raiz do coqueiro, considerada adstringente, é utilizada para baixar a febre, para diarréias e desinterias; em casos de aumento do fluxo menstrual e em gargarejo para aliviar a dor de dente.
 O cabelo de coco, depois de fervido, é efetivo contra diarréias e sapinhos.
 No Sri Lanca, as raízes são torradas feito pó e usadas como pasta de dente. Também são utilizadas como desinfetante para feridas e para gargarejar nos problemas de boca e garganta.
 Composição Química
 
A água de coco verde é composta de água 95,5%, proteína 0,1%, gordura – de 0,1%, carbohidratos 4%, cálcio 0,02%, fósforo – 0,01%, ferro 0,5%. A proteína do coco tem uma proporção dos aminoácidos arginina, alanina, cisteína (essenciais) e serina maior do que aqueles encontrados no leite de vaca, daí que em alguns lugares das Filipinas, esta água é usada para alimentar crianças pequenas. Presença de vitamina C pode variar de 2,2 a 3,7 mg/%, e vai diminuindo na medida em que o coco amadurece. Possui também vitaminas do complexo B em pequena proporção. Os sais minerais são iodo 105mg, potássio 312mg, cálcio 29mg, magnésio 30mg, ferro 0,10mg, cobre 0,04mg, fósforo 37mg, enxofre 24mg e cloro 183mg/100ml.
 O óleo de coco possui os seguintes ácidos graxos: ácido capróico 0,3-0,8%, caprílico 5,5-9,5%, cáprico 4,5-9,5%, láurico 44-52%, mirístico 13-19%, palmítico 7,5-10,5%, esteárico 1-3%, araquídico até 0,04%, oléico 5,8%, linoléico 1,5-2,5%.
 O óleo de coco é rico em óleos saturados, em especial ácido láurico e mirístico e contém uma grande porcentagem de glicerol.
 O glicerol é importante para o organismo, pois com ele o corpo produz ácidos graxos saturados ou insaturados, de acordo com suas necessidades. O glicerol é, também, um emulgato dai seu uso na produção de cremes e pomadas. De todos os óleos vegetais de uso industrial o de coco tem o mais alto valor de saponificação e o mais baixo valor de iodo e de refração, o que significa que o óleo de coco é excelente para o preparo de pomadas cremosas.
 A água de coco contém um fator de crescimento e é utilizado em alguns laboratórios como meio de cultivo.
Fonte:  Catálogo Rural

   

 

 

 O que é o Óleo de Coco Extra Virgem 

 O Óleo de Coco não é medicamento. É um alimento complementar oleo-de-coco-googleicoadjuvante na prevenção de diversas doenças, segundo pesquisas e relatos científicos. Por isso não apresenta indicações terapêuticas definidas, não é oferecido como remédio, nem possui bula.

 

 Segundo a Copra Alimentícia, “A grande surpresa das novas constatações foi que se verificou que uma dieta rica em óleo de coco não aumenta o colesterol e nem o risco de se desenvolver doença coronariana, como se imaginava, mas opostamente, o óleo tem a propriedade de aumentar a fração HDL do colesterol. Além disso, a gordura do coco leva à normalização dos lipídeos (gorduras) corporais, protege o fígado dos efeitos do álcool e aumenta a resposta imunológica contra deversos microrganismos, sendo também benéfica no combate aos fatores de risco para doenças cardo-vasculares.”

 

De acordo com o Dr. Sérgio Puppin, MD. – Cardiologista e Nutrólogo, o óleo de coco possui as seguintes propriedades:

  • Ação antioxidante – Colabora na diminuição da produção de Radicais Livres.
  • Colesterol – Ajuda na redução do mau colesterol – LDL e promove a elevação do bom colesterol – HDL
  • Colabora no processo do emagrecimento – A gordura de coco é considerada capaz de gerar calor e queimar calorias.
  • Melhora o sistema imunológico – agindo na prevenção e no combate aos vermes, bactérias e fungos.
  • Regula a função intestinal – Tanto nos casos de prisão de ventre ou mesmo nas diarréias.
  • Tireóide – Melhora o funcionamento da tireóide tendo ainda ação Anti-Envelhecimento.
  • Ação cosmética – A gordura de coco pode ser aplicada diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos.
  • Diabéticos – Controla a compulsão por carboidratos.

  Como usar

Segundo Dr. Bruce Fife, autor do livro The Coconut Oil Miracle, devem ser ingeridas de três a quatro colheres de sopa por dia de Óleo de Coco. Mas, nas primeiras semanas, aconselha-se tomar uma colher de sopa antes do café da manhã, para que o organismo se adapte.

 

 

 

 

Revista Saúde & Lazer   cocos1

http://www.vidaintegral.com.br/noticias.php?noticiaid=851

 O óleo de coco, um antigo vilão da boa alimentação ganha agora a posição de alimento funcional. As referências dos estudos brasileiros baseados em publicações no Life Sciences Research Office, da Federação das Sociedades de Biologia Experimental dos EUA/Food and Drug Administration – FDA demonstram que uma dieta rica em óleo de coco extra virgem não induz ao efeito cumulativo de gorduras e aumenta a fração HDL do colesterol. O médico Dr. Sérgio Puppin, especialista em nutrologia e cardiologia – membro da Academia de Ciências de Nova York, defendem o uso o óleo de coco extra virgem como um alimento funcional e coadjuvante na dieta de emagrecimento, com efeitos duradouros e capazes de diminuir o mau colesterol (LDL) e aumentar o bom colesterol (HDL).

Leia o resto do artigo

  O Óleo de coco     coco

          O Óleo de coco tem alto poder antioxidante Colabora na diminuição da produção de radicais livres, graças àação da vitamina E Ele ajuda a reduzir o colesterol ruim (LDL) e promove a elevação do bom (HDL), contribuindo assim para a prevenção e o tratamento das doenças cerebrais e cardiovasculares. O coco melhora o sistema imunológico. Previne e age no combate a bactérias e fungos. Consequentemente facilita a absorção dos nutrientes, aumentando todas as defesas do organismo. A gordura apresenta grande concentração de ácido láurico, O mesmo presente no leite materno. Ele ajuda a regular a função intestinal, tanto nos casos de prisão de ventre como nos de diarréias. E ainda protege a flora amiga, Estudos realizados há mais de 30 anos comprovaram que ela estimula a função da tireóide. O bom funcionamento dessa glândula faz com que o mau colesterol (LDL) produza hormônios necessários na prevenção de doenças e outros males crônicos. Ele controla a compulsão por carboidratos, pois proporciona uma sensação de saciedade e não estimula a liberação de insulina. Dessa forma diminui a compulsão por doces.

       A melhora começa a aparecer após a segunda semana de consumo.

  • A recomendação é de 3 colheres de café. (sopa), distribuídas ao longo das refeições.
  • Ele pode também ser utilizado como tempero de saladas, misturado.
  • o iogurte, em shakes, passado em torradas, etc.
  • Se ocorrer diarréia, deve-se diminuir a dose.
  • A substância pode ser tomada pura ou misturada aos alimentos ou em substituição a outros óleos, que perdem as características quando submetidos ao calor. “O óleo de coco é muito resistente à alta temperatura e não elimina suas propriedades”.

       * Na hora da compra, fique atenta! O óleo não deve ser submetido a processo de refinação. Quando refinados, perdem seus antioxidante e alguns ainda são hidrogenados, transformando-se nas gorduras trans, estas, sim, muito nocivas à saúde.

* O óleo pode ser encontrado em lojas de produtos naturais e orgânicos

      O coco se compõe de ácidos graxos de cadeia média, benéficos porque não são armazenados nas células, vão direto para o fígado e vira energia. A gordura de coco não contém gordura trans. Altas concentrações de ácido láurico têm efeito antiviral, anti bacteriano e antifúngico. É rico em vitamina “E” e possui um poderoso efeito antioxidante, 2/3 de sua gordura saturada é composta por ácidos graxos, o mesmo do leite materno.

        Uma gordura especial do coco recebe o nome de ácido láurico é utilizado pelo organismo para fabricar outra a monolaurina. E de onde o bebê consegue o ácido láurico? Do leite materno. A monolaurina e outros derivados do ácido láurico são capazes de inativar, em laboratório, o vírus da AIDS (HIV), do sarampo, do herpes e o citomegalovirus, entre outros vírus, bactérias e protozoários. A gordura do coco, assim como a do peixe, diminui as concentrações de substâncias pró-inflamatórias do organismo muito útil no tratamento de doenças que envolvam um estado inflamatório agudo e/ou crônico como a enxaqueca. Aumentam a produção de uma substância antiinflamatória chamada Interleucina-10.

        As gorduras polinsaturadas reduzem o colesterol; e o óleo de coco produz níveis significativamente mais baixos (p=0,05) de beta-pre lipoproteínas (VLDL) e significativamente mais altos (p=0,01) de alfa-lipoproteinas (HDL).

      Considerado (o bom colesterol prevenindo os depósitos do colesterol LDL nas paredes arteriais). É eficiente para reduzir problemas de tireóide

      Regulariza as funções intestinais, auxiliando a eliminar as toxinas ingeridas diariamente. Agem na pele mais seca e fria, com tendência a rachaduras, nos lábios e nos pés hidratando suavemente, e como moderados.

        Anti-sépticos, atua na prevenção de rugas e seu consumo sistemático é um poderoso agente antioxidante. São emolientes naturais, devido a seu teor em ácido láurico, além de terem efeito imunoestimulantes.

          Com bases em pesquisas, seria de extrema valia o uso de óleos láuricos na alimentação de pessoas com baixa imunológica, que possuem grande facilidade em gripar, pessoas com doenças bacterianas e viróticas como tuberculose, pneumonia, herpes, doenças venéreas, auto-imunes como o lúpus e a psioríase, câncer, faringites, Crohn entre outras.

NA COZINHA NÃO EXISTE NADA IGUAL!

Sensíveis ao aquecimento, a maioria dos óleos vegetais têm suas moléculas alteradas pelo calor, e se tornam nocivos à saúde.

          O calor é um dos maiores inimigos dos óleos vegetais. Os chamados óleos poliinsaturados – como os de girassol, soja e milho – sofrem alterações e apresentam altos níveis de gordura trans ao final do cozimento, assim como também o de canola.

         Tido como o mais saudável por ser do tipo monoinsaturado, o óleo de oliva também sofre alterações com o aquecimento.

Dentre todos os tipos de gordura, as saturadas são as mais resistentes e estáveis.

         Por isso, para cozinhar a melhor escolha é o ÓLEO DE COCO COPRA considerado EXTRA VIRGEM por apresentar um teor de acidez abaixo de 0,3%.   (Marcelo Alves CRN 5711)

39 comentários sobre “Óleo de Coco

  1. Rosilei disse:

    Gostaria de saber se criança com síndrome de down com 08 meses pode fazer uso do referido produto.
    (óleo de côco), obrigada, Rosilei.

  2. Luan disse:

    Muito obrigado por ter informado nesta página a composição do óleo de coco!

  3. elaine disse:

    Gostaria de imformaçoes sobre o oleo qto custa e como poderia comprar estou em sao paulo.Obrigada.

  4. cleunice luzie disse:

    Luciane… onde encontramos esse poderoso oleo de coco pronte existe no mercado…..pronto e verdadeiro ?
    grata

  5. lucianefigueira disse:

    Olá Ligia,
    Desculpe-me pela demora, mas andei meio ocupada. Olha eu estava vendendo, mas no momento o que só serve para área de cosmeticos. Terei em breve, mas você poderá achar em lojas de produtos naturais. Onde você mora? para que eu possa lhe indicar melhor.
    Um Abraço,
    Luciane

  6. Diny Fernandes disse:

    Olá bom dia, eu gostaria de saber se o oleo de coco feito em casa tbm pode ser usado p substituir o oleo regular, se tem alguma alteração ou se tem o mesmo efeito.
    Obrigada
    Diny Fernandes

  7. lucianefigueira disse:

    Olá Diny Fernandes,
    O óleo de coco feito em casa pode ser talvez utilizado para a área de estética. Mas trocar o óleo de soja por ele não sei, acho, mas seguro, você comprar o verdadeiro óleo de coco extra virgem. Por que aí você terá a certeza de esta utilizando um produto certo. Até porque este óleo de coco vendido nas lojas, ele passa por um processo, até chegar ao ponto ser utilizado para alimentação. Qualquer dúvida, favor entrar em contato comigo.
    Um Abraço,
    Luciane Figueira

  8. jaqueline disse:

    oi sou estudante de nutrição e resolvi fazer um trabalho sobre a gordura do coco e gostaria se possivel me mandar mais informações deste assunto. obrigado! jaque

  9. Patricia disse:

    Gostaria que desse alguma informaçao de como usar o oleo de coco em bebe, a quantidade e se nao tem nehum problema…tenho uma bebe de 6 meses, e estive lendo que o oleo tem o mesmo acido encontrado no leite materno…obrigada

  10. pereira disse:

    Não sei porque, ninguém publica nada a respeito do óleo de soja,que a cada dia que se passa está matando os brasileiros! Quando fritamos algum alimento em nossa casa, é só observar no fundo da frigideira a cola que fica agarrada como se fosse um plástico derretido, já pensou essa cola dentro das nossas artérias como seria?
    Luciane por isso achei muito interessante o assunto com relação ao óleo de côco. Não sei porque O Globo Reporter não faz uma reportagem a respeito do Óleo de côco, será porque êi? Quem não deixa êi? Abraços:… Pereira

  11. sueli disse:

    muito interessante suas paginas. sugiro vc incluir nas paginas do seu site, uma opcao de enviar o endereço da sua pagina para visualização posterior, ou indicação para um amigo.
    um abraço. sueli

  12. Nicanor de Oliveira disse:

    Sou professor terapeuta; iridossomatologia, ortomolecular, auriculoterapia. Muito boa a informação. Tenho alertado as pessoas quanto a nocividade perigosa dos óleos. Sempre perguntam qual o óleo a usar e a informação sobre o óleo de coco serve como uma luva.
    Um abraço
    Nicanor

  13. Mylene disse:

    Sou esteticista,gostaria de saber se existe esse óleo de coco extra virgem,para fazer massagem,e onde poderia encontrar.Estou em Sp Capital zona leste.

    Obrigada

  14. lucianefigueira disse:

    Ol Mylene,

    Sim existe sim. Para dizer bem a verdade esse um excelente leo para massagem.

    No por que fui representante do leo, mas estou dizendo por que usei para massagem. Vou te indicar uma conhecida que vendia o leo de coco a de SP. Mas tambm vou te indicar o site da Copra

    http://coprasul.blogspot.com/ 7 – Ao COSMTICA A maioria das loes e cremes comerciais constituda predominantemente de gua. Estas preparaes midas so rapidamente absorvidas pela pele seca e enrugada. Assim que a gua entra na pele, o tecido expandido como um balo com gua, ento as rugas desaparecem e a pele se torna mais macia. Porm, tudo isto temporrio. Em poucas horas a gua absorvida e levada para a corrente sangnea e, tanto a secura como as rugas reaparecem. Alm de no resolver o problema de hidratao e das rugas, estes cremes ou leos refinados esto quase sempre oxidados, trazendo consigo uma montanha de radicais livres, que agravam cada vez mais o tecido elstico da pele tornando-a mais envelhecida. A gordura de coco pode ser aplicada diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos, funcionando com um condiocinador natural, para isso s massagear os cabelos com 1 colher das de sobremesa antes do banho. Alm de hidratar a pele e no conter radicais livres, previne rugas numa verdadeira ao antienvelhecimento. Isto se deve a lubrificao da pele, permitindo que os nutrientes do sangue cheguem at ela. 8 Ao dermatolgica Alm do poder bactericida na pele, pode ser utilizada como cicatrizante de feridas, picadas de insetos, alvio em queimaduras e, sobretudo nos eczemas e dermatites de contato, bem como no tratamento do herpes Um abrao, Luciane

  15. Roberto Kazu disse:

    Oi Luciane .
    gostei muito do artigo que voce colocou sobreo o oleo de coco, pretendo consumir para ver se emagreço ppois ouvir dizer que ele atua muito bem na area do abdomen ( terror dos homens ), voce me confirma, e como usar, ingerindo ou passando no local.

    Abraços , Kazu.

  16. lucianefigueira disse:

    Ol Sr. Roberto,

    Na verdade o leo de coco um (santo remdio) para tudo. Seja para massagens, seja na alimentao, at mesmo para perder a temida barriguinha.

    Fica ao seu critrio. Voc ingeri em jejum todos os dias 3 vezes ao dia.

    Bom acho que te dei uma explicada. Se precisar de mais alguma coisa, meprocure.

    Um abrao,

    Luciane

  17. Manoel disse:

    Luciane,
    Parabéns! pelo blog….e fiquei muito interessado no produto Oleo de Coco, peço , se possivel vc comentar quando ao custoxbeneficios entre ele e o azeite de oliva EV cujo preço em embalagem de 500 ml esta por R$ 12,00. Quanto a conservação do produto, após aberto a embalagem para o uso diário, qual seria sua recomendação quanto ao armazenamento.Grato

  18. glaucia disse:

    gostaria de saber se o oleo de coco fz mal , por que e´oleo. estou fazendo uso dele.ah!posso tomar lo .tenho cabelos lisos posso usa lo.o oleo é bom para olheiras? gta.

  19. lucianefigueira disse:

    Ol Glaucia,

    De acordo com o Dr. Srgio Puppin, MD. Cardiologista e Nutrlogo, o leo de coco possui as seguintes propriedades:

    Ao antioxidante Colabora na diminuio da produo de Radicais Livres.

    Colesterol Ajuda na reduo do mau colesterol LDL e promove a elevao do bom colesterol HDL

    Colabora no processo do emagrecimento A gordura de coco considerada capaz de gerar calor e queimar calorias.

    Melhora o sistema imunolgico agindo na preveno e no combate aos vermes, bactrias e fungos.

    Regula a funo intestinal Tanto nos casos de priso de ventre ou mesmo nas diarrias.

    Tireide Melhora o funcionamento da tireide tendo ainda ao Anti-Envelhecimento.

    Ao cosmtica A gordura de coco pode ser aplicada diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos.

    Diabticos Controla a compulso por carboidratos. Como usar Segundo Dr. Bruce Fife, autor do livro The Coconut Oil Miracle, devem ser ingeridas de trs a quatro colheres de sopa por dia de leo de Coco. Mas, nas primeiras semanas, aconselha-se tomar uma colher de sopa antes do caf da manh, para que o organismo se adapte.

    De uma olhada neste link:

    https://lucianefigueira.wordpress.com/oleo-de-coco/

    Um abrao,

    Luciane Figueira

  20. israel santana disse:

    ola boa a todas,minha esposa tem 47 anos e quer engravida,com nós esta tudo ok todo os exames ok,só que ainda não conseguirmos,só que nos deram uma receita com oléo de coco e enxofre deixa eles juntos 2 dias e depois ela colocar um pouco em 1 litro dagua e se lava as parte intima gostaria de saber se isso é real agradeço e gostei do seu artigo falando do oléo de coco

  21. lucianefigueira disse:

    Olá Sr. Israel,
    Vou ser bem sincera. Já ouvi falar que o óleo de coco tem muitas finalidades.
    Mas essa é a primeira vez que ouço nesta.
    Por isso peço que tenha cuidado.
    Tomá-lo é o, mas indicado. Tome-o de dois a três vezes ao dia em jejum. E vocês veram o organismo dela se limpando.
    Mas se desejar mesmo que seus se realizem, seja em que área for. Entregue tudo, mas tudo mesmo nas mãos de Deus.
    Sei que é difícil o que eu vou falar. Pode até parecer que sou fria, mas não sou não.
    É que aprendi que devemos entregar os nossos problemas nas mãos do Senhor.
    Que Deus o abençoe sempre.
    E eu aprendi tudo isto através da palavra do Evangelho na Igreja Mundial do Poder de Deus.
    Fiquem com Deus.
    Um abraço.
    Luciane

  22. marcia disse:

    A tabela da informacao nutricional nao estaria com os valores “saturadas” e “polinsaturadas” invertidos?

  23. Valdecir disse:

    Boa Noite!

    Luciane,

    Tomei conhecimento dos beneficios do Óleo de Coco através de uma matéria em uma revista, e desde então passei a procurar pelo produto, que encontro em Lojas de Produtos Organicos, entretanto há dois tipos de Óleo de Coco, o “Virgem” e o “Extra Virgem” gostaria de saber qual a diferença entre os dois e qual o melhor para ser utilizado como Óleo de Cozinha.

    Desde já agradeço.

    Valdecir.

  24. MICHELLE disse:

    BOA NOITE..

    GOSTARIA DE SABER COMO TOMAR? QUANTAS CAPSULAS DEV TOMAR POR DIA…TEM QUE SER EM JEJUM?

    OBRIGADA

  25. larissa canale disse:

    qual a diferença do oleo de coco de comprimido e dos outros que tem??pq o q tomo sao capsulas duas vezes 30 min. antes das refeicoes???tem q fazer regime? term q faazer exercicios fisicos?? ou emagrece sem essas coisas??

  26. MARIA DE ´FATIMA GONÇALVES disse:

    A paz,minha irmã em cristo. Sei q o q é possível ao homem ele deve fazer ; mas ao q ñ é só será possível para Deus,e ele realmente o fará se for p/ glória dele: Assim nos disse “JESUS”.amei seu blog. vou acessar sempre.Valeu essa reportagem.bjs no seu coração.JESUS t ama e a todos os seus leitores. Fuiiiii!!!!!

  27. karen richardi disse:

    minha dúvida é com relação ao óleo virgem e extra virgem, se eles possuem o mesmo efeito porque a diferença de preço é razoável.
    vc saberia me orientar????

  28. Vilka Roschel disse:

    Olá Luciane!!

    Procurando a respeito de óleo de coco encontrei seu site.
    Eu comprei há anos atrás o óleo em Porto Seguro, sei bem dos benefícios dele, porém, li algo a respeito ontem numa revista que não sabia, é sobre emagrecimento. Se puder me dar um auxílio, não sei se pode ser injerido somente o óleo, além de gordura localizada como fazer para sumir essas coisinhas… rss.. Se você estiver vendendo o óleo gostaria de adquirí-lo. Fico no aguardo de um breve retorno.

    Obrigada

  29. silvia ferriani da mota disse:

    O óleo de côco é igual à gordura? Sempre cozinhei com ela mas passei para óleo de milho porque me disseram que não era saudável.

  30. lucianefigueira disse:

    O que é o Óleo de Coco Extra Virgem
    O Óleo de Coco não é medicamento. É um alimento complementar coadjuvante na prevenção de diversas doenças, segundo pesquisas e relatos científicos. Por isso não apresenta indicações terapêuticas definidas, não é oferecido como remédio, nem possui bula.
    Segundo a Copra Alimentícia, “A grande surpresa das novas constatações foi que se verificou que uma dieta rica em óleo de coco não aumenta o colesterol e nem o risco de se desenvolver doença coronariana, como se imaginava, mas opostamente, o óleo tem a propriedade de aumentar a fração HDL do colesterol. Além disso, a gordura do coco leva à normalização dos lipídeos (gorduras) corporais, protege o fígado dos efeitos do álcool e aumenta a resposta imunológica contra diversos microrganismos, sendo também benéfica no combate aos fatores de risco para doenças cardo – vasculares.”
    De acordo com o Dr. Sérgio Puppin, MD. – Cardiologista e Nutrólogo, o óleo de coco possui as seguintes propriedades:
    •Ação antioxidante – Colabora na diminuição da produção de Radicais Livres.
    •Colesterol – Ajuda na redução do mau colesterol – LDL e promove a elevação do bom colesterol – HDL
    •Colabora no processo do emagrecimento – A gordura de coco é considerada capaz de gerar calor e queimar calorias.
    •Melhora o sistema imunológico – agindo na prevenção e no combate aos vermes, bactérias e fungos.
    •Regula a função intestinal – Tanto nos casos de prisão de ventre ou mesmo nas diarréias.
    •Tireóide – Melhora o funcionamento da tireóide tendo ainda ação Anti-Envelhecimento.
    •Ação cosmética – A gordura de coco pode ser aplicada diretamente sobre a pele e mesmo nos cabelos.
    •Diabéticos – Controla a compulsão por carboidratos.
    Como usar
    Segundo Dr. Bruce Fife, autor do livro The Coconut Oil Miracle, devem ser ingeridas de três a quatro colheres de sopa por dia de Óleo de Coco. Mas, nas primeiras semanas, aconselha-se tomar uma colher de sopa antes do café da manhã, para que o organismo se adapte.
    Um abraço,
    Luciane

  31. Ana Paula disse:

    Boa tarde Luciana. Somos da Fábrica e adoramos seu blog.
    Estou enviando nosso email, pode entrar em contato. Obrigada.Ana

  32. Alessandra disse:

    Boa tarde, minha tia tomou o óleo de coco copra e o seu colesterou AUMENTOU. Então indicaram o óleo de coco Virgem Dr.Orgânico e os beneficios foram surpreendentes. Li que não existe óleo de coco extra virgem, pois essa classificação se denomina somente ao azeite. Ou é Virgem ou Refinado. Comecei a tomar o óleo de coco VIRGEM Dr.Orgânico e tenho tido uma disposição surpreendente.

Deixe o seu recadinho:

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s